Travesseiro para bebê ajuda recém-nascido a dormir melhor

Travesseiro para bebê ajuda recém-nascido a dormir melhor

Será que é importante investir em um travesseiro para bebê?

Se você tem dúvidas sobre isso, saiba que não está sozinho: há muitos outros pais e mães sem certeza se devem ou não providenciar esse acessório para seus pequenos.

Alguns especialistas não recomendam ou consideram opcional o uso de travesseiro para bebês recém-nascidos.

A partir de uma certa idade, porém, um travesseiro pode sim ajudar o bebezinho a dormir melhor e com mais qualidade.

Para saber mais sobre o assunto, conferir qual o modelo ideal e outras dicas úteis para ajudar seu bebê a ter um sono seguro e tranquilo, avance na leitura deste texto.

Travesseiro para bebê: usar ou não?

Uma parte dos especialistas não recomenda o uso de travesseiros para bebês recém-nascidos, mas depois dos 6 meses os pais podem (e devem) optar por esse acessório.

Para isso, é preciso observar certos cuidados, como os que a Sleep Foundation enfatiza em um artigo sobre travesseiros para crianças.

O mais importante nesse caso é evitar o risco de síndrome de morte súbita infantil por sufocamento (SIDS) em razão do uso impróprio e da escolha errada do travesseiro.

Antes de comprar o travesseiro, os pais devem observar aspectos como enchimento, suporte, tamanho e qualidade do material.

Igualmente importante é levar em conta os benefícios que um travesseiro pode trazer para o sono do pequeno, como destacamos no tópico seguinte.

Acompanhe!

Importância do travesseiro para bebê dormir bem

Vale sempre ressaltar que, até os 6 meses, o pescoço do bebê ainda não tem um tamanho proporcional à sua cabecinha.

Até essa idade, portanto, o travesseiro não tem utilidade.

Depois disso, se os pais e o pediatra entenderem que é adequado, podem introduzir um travesseiro fino para dar mais conforto e sustentação à cabeça para o sono do bebê.

O travesseiro tem ainda um importante papel terapêutico, pois evita que o pequeno desenvolva a síndrome da cabeça chata (plagiocefalia).

Ela se caracteriza por uma deformação no crânio do bebê, que pode ficar com a cabecinha mais larga do que o normal, assimétrica ou com a nuca achatada.

Uma forma de evitá-la é não deixar que o bebê durma de barriga para cima tempo demais.

Por isso, um travesseiro pode ser indicado para dar mais conforto quando ele estiver deitado em outra posição. 

Vantagens do travesseiro para bebê recém-nascido

O travesseiro certo pode ajudar a criança a ter um sono mais tranquilo.

Quando o bebê está deitado de lado, por exemplo, ajuda a manter o alinhamento do pescoço, evitando dores e problemas na cervical ainda em fase de consolidação.

Vale destacar que a posição de lado só é recomendável a partir de um ano de idade, quando o pescoço do bebê já oferece mais sustentação à cabeça.

Dessa forma, o travesseiro será o seu melhor aliado para evitar deformações na moleira.

Isso sem contar que essa pode ser uma peça decorativa, dando um ar mais lúdico e divertido ao quartinho do bebê.

Como deve ser um travesseiro para bebê

Tendo em vista as necessidades especiais da criança em seus primeiros meses e anos de vida, é preciso observar certas características que um travesseiro deve ter.

Afinal, nessa fase da vida o aspecto mais importante é a segurança, já que os bebês são suscetíveis a refluxos, sufocamentos e engasgos ao dormir.

Nada que preocupe, desde que os pais tomem os cuidados necessários e sejam vigilantes com o sono do bebezinho.

Ao utilizar um travesseiro, portanto, é preciso garantir que ele seja adequado para uso infantil e para a faixa etária correta, já que nessa fase da vida o corpo humano muda e se desenvolve muito rapidamente.

Vamos ver a seguir algumas características que um travesseiro para bebê precisa ter para ser considerado seguro e confortável.

Antissufocante

A principal característica que um travesseiro infantil deve ter é ser antissufocante.

Nesse caso, a superfície do acessório deve ser aerada, ou seja, ter furos distribuídos de forma que, se o bebê virar o rostinho para o travesseiro, ainda assim consiga respirar.

Cabe ressaltar que os sufocamentos são mais frequentes até os 6 meses de idade, portanto, até essa idade o travesseiro deve ser evitado.

A propósito, outro fator de risco para a SIDS é o costume de deixar o bebê dormir na cama com os pais.

Por isso, quanto mais adequado for o ambiente e os acessórios para o bebezinho, mais seguro ele estará e mais profundo será o seu sono.

Antirrefluxo

Os travesseiros para bebê ajudam não só a evitar a plagiocefalia, como são valiosos aliados para minimizar os refluxos.

Esse é um problema que tem ligação com a falta de desenvolvimento do trato intestinal, mas também pode ser causado por alergias e intolerâncias alimentares.

Os refluxos acontecem de forma súbita e, se o bebê não estiver em uma posição anatomicamente favorável, pode engasgar.

Dessa forma, o travesseiro também precisa ter uma inclinação, como se fosse uma rampa, para manter o corpinho do bebê e a cabeça em uma posição que facilite a digestão e a respiração.

Anatômico

Como vimos, a anatomia do bebê é diferente, motivo pelo qual o seu travesseiro precisa respeitar suas características físicas.

Uma delas é a firmeza do pescocinho, ainda em formação.

Por isso, o travesseiro para bebê precisa ser fino, medindo no máximo 3 a 5 centímetros de altura.

Nunca é demais relembrar que, antes de usar um travesseiro para bebê, é importante mencionar o assunto em consulta com o seu pediatra.

Ele poderá reforçar as características do produto ideal para que seja considerado seguro e confortável, respeitando a anatomia do seu bebezinho.

Antialérgico

Bebês podem ser mais suscetíveis a alergias, das alimentares às respiratórias.

Dessa forma, o travesseiro precisa ser preparado para evitar a proliferação de ácaros e outros microrganismos que possam desencadear reações alérgicas.

Para isso, na hora de comprar, observe que tipo de material é usado não só no revestimento, como principalmente no interior do travesseiro.

Um dos materiais indicados para preencher o acessório é o enchimento de fibra oca.

Considerado hipoalergênico, ele facilita o fluxo de ar, ajudando também a regular a temperatura.

De qualquer forma, consulte sempre o pediatra do seu filho para saber qual o travesseiro mais adequado às necessidades dele.

De memória

A plagiocefalia pode prejudicar o desenvolvimento da criança e causar problemas estéticos.

Uma maneira de evitá-la é usar um travesseiro de memória, cuja principal função é proteger o formato arredondado da cabecinha do bebê.

Isso porque ele é feito com material que proporciona maciez e, ao mesmo tempo, firmeza na medida certa para a pressão na cabeça não causar deformações.

Isso sem contar que esse tipo de travesseiro favorece o fluxo respiratório, sendo também indicado para evitar refluxos.

Qual o melhor travesseiro para bebê

Com tantas características a serem observadas, diferentes materiais e produtos disponíveis, é preciso ter critério na hora de escolher o melhor travesseiro para o seu bebê.

Lembre-se de que, nesse caso, o fator mais importante é a segurança, além do conforto e, claro, a saúde do pequeno.

Por esses motivos, ao buscar por um travesseiro, não deixe de considerar os aspectos destacados a seguir.

Tamanho ideal

Como vimos, a altura do travesseiro para bebê deve ser mínima.

Além disso, sua largura e comprimento devem ser suficientes para dar conforto quando ele mudar de posição.

A altura deve ser de no máximo 3 a 5 centímetros, de maneira que o pescocinho em desenvolvimento não fique muito elevado.

Observe ainda que o espaço entre a cabeça do bebê e a superfície do colchão não deve ser preenchido totalmente pelo travesseiro.

Isso porque o peso da cabeça da criança gera um afundamento natural no acessório, devendo por isso ser considerado ao avaliar sua altura.

Produzido em látex

Entre os materiais indicados na composição de um travesseiro para crianças está o látex, em razão de suas propriedades antissufocantes.

Esse produto também é bastante indicado para crianças que tenham algum tipo de alergia respiratória.

Não deixe de conferir também se o travesseiro de látex tem preenchimento aerado, de maneira que facilite a respiração do bebezinho, principalmente se ele dormir de bruços.

Aproveite e conheça o travesseiro e o colchão de látex da Maxflex!

Travesseiro para bebê com furo no meio

Outro tipo de travesseiro que ajuda a evitar a plagiocefalia é o que vem com um furo no meio.

Também pode ser indicado para crianças que já tenham desenvolvido esse problema, evitando assim o seu agravamento.

De qualquer forma, é indicado que o tratamento médico seja iniciado antes de 12 meses de vida para aumentar as chances de sucesso.

O pediatra pode recomendar um travesseiro com furo no meio como forma de minimizar as pressões sobre a cabeça do bebê, que pode até ter que vir a usar órteses, dependendo do caso.

Maxflex tem o travesseiro ideal para bebês

Travesseiros para bebês devem ser escolhidos com muito cuidado.

Um dos critérios mais importantes que você precisa considerar é a sua procedência, ou seja, a marca do produto.

Você sabia que a Maxflex comercializa travesseiros infantis observando as necessidades únicas dos bebês e das crianças?

Um deles é o travesseiro látex infantil baby, medindo somente 5 centímetros de altura, com um nicho anatômico desenvolvido para acomodação exata da cabeça do pequeno.

Com a Maxflex, o sono do seu bebê está sempre seguro e protegido.

Conheça nossos produtos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.