Mito ou verdade: Dormir mal pode contribuir para o ganho de peso

Mito ou verdade: Dormir mal pode contribuir para o ganho de peso

Existem muitos estudos e questionamentos sobre a efetiva relação entre sono e ganho de peso. Isso acontece porque a dúvida é frequente entre as pessoas: Afinal, dormir mal engorda mesmo ou é somente um mito?  Comprovadamente, dormir mal e menos horas do que o sugerido gera modificações em hormônios que influenciam diretamente na fome e na saciedade. Além disso, o cérebro passa a reagir de forma diferente, como se gerasse uma sensação de necessidade por alimentos gordurosos e repletos de açúcar. Portanto, a resposta é: sim! Dormir mal engorda e está diretamente vinculado a casos de obesidade. Abaixo, você verá as explicações de porque o sono e o ganho de peso estão diretamente ligados e terá a certeza da importância de uma noite bem dormida!  

Por que dormir mal engorda?

Em média, o ideal para um adulto se manter saudável é dormir entre 7 e 9 horas por noite. Dormir menos do que o sugerido, além de influenciar no humor e até na disposição ao longo do dia, está ligado à obesidade e, consequentemente, ao desenvolvimento de doenças associadas a ela. Existem três principais explicações do porquê dormir mal engorda:  

1 –  Eleva a produção de grelina

A falta de sono leva o organismo a produzir uma maior quantidade de grelina, hormônio que “informa” quando comer, ou seja, é um estimulador do apetite. Dessa forma, a pessoa sente vontade de comer mais vezes ao longo do dia e normalmente não tem controle sobre a quantidade de alimento ingerido.  

2 – Descontrola o cortisol

O cortisol é um hormônio fundamental para o funcionamento do corpo e ele passa por altas e baixas ao longo do dia. Em casos de estresse, a produção de cortisol se mantém por mais tempo alta, fazendo com que as glândulas suprarrenais trabalhem mais. Isso provoca a retenção de líquido e acúmulo de gordura. Quando não dormimos, ou seja, mantemos o corpo em alerta, o cortisol igualmente segue elevado, dificultando que a pessoa adormeça e perturbando a qualidade do sono. Já quando se torna frequente dormir pouco, o cortisol passa a não distinguir entre noite e dia e diminui drasticamente a queima calórica a fim de resguardar energia.  

3 – O cérebro ativa a vontade de comer alimentos calóricos

Outra prova que dormir mal engorda está no cérebro e na forma como ele reage a alimentos calóricos. Comidas ricas em gordura e açúcar estimulam uma parte cerebral que aumenta a motivação para comer. Junto a isso, a atividade do córtex frontal (parte do cérebro vinculada às decisões racionais) é igualmente reduzida, levando ao impulso e ao descontrole na hora de comer. Essa dupla ação cerebral, portanto, faz com que a pessoa não contenha a vontade de comer alimentos gordurosos e muito doces, dificultando a manutenção de uma dieta balanceada.  

Use o sono a seu favor!

Partindo da premissa que dormir mal engorda, é fundamental dar o tempo necessário de sono para que o metabolismo funcione da forma correta. Dentro desse processo, um grande aliado no emagrecimento é a leptina, hormônio que é produzido somente à noite e que controla a saciedade ao longo do dia, ou seja, diz quando parar. Ela é fundamental na regulação, ingestão e no gasto energético, portanto, se ela está em alta, a tendência é que seja mais fácil controlar a quantidade de alimentos ingeridos e se sentir satisfeito. —   Agora que você já conhece a ligação entre sono e ganho de peso, dê atenção especial para uma noite bem dormida. Quer saber mais sobre como ter uma ótima noite de sono e mais qualidade de vida? Acompanhe os artigos do nosso blog!    

2 comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.