Hipersonia: entenda as causas da sonolência excessiva

Hipersonia: entenda as causas da sonolência excessiva

Quem dorme demais ou se sente sonolento o tempo todo precisa ficar ligado.

Esses são sinais de hipersonia, uma disfunção que pode gerar complicações e muita dificuldade em manter um ritmo de vida normal.

Em sua forma primária, essa é considerada uma condição rara, afetando não mais do que 5 pessoas em cada 10 mil.

Porém, existe ainda a hipersonia secundária, essa menos rara e que por isso demanda cuidados preventivos para não vir a se manifestar.

Sendo assim, todo cuidado é pouco para não desenvolver essa condição, a qual você vai conhecer melhor a partir de agora.

Leia com bastante atenção!

O que é hipersonia?

A hipersonia (CID 10 – G47.1) é um distúrbio do sono cujo principal sintoma é a sonolência excessiva.

A pessoa que desenvolve essa condição pode, em alguns casos, dormir por mais de 24 horas e ainda continuar sentindo sono.

Em sua versão idiopática, ou primária, a hipersonia é um problema congênito, ou seja, a pessoa já tem uma predisposição para a doença, que é desencadeada independentemente de fatores externos.

Já a sua forma secundária pode ter como causas certas deficiências de vitaminas ou surgir como complicação de outras doenças, como veremos a seguir.

Causas de hipersonia

Algumas das condições e doenças que podem levar a um quadro de hipersonia são:

  • Apneia do sono
  • Deficiência de ferro 
  • Depressão
  • Doença de Parkinson
  • Hipotireoidismo.

O problema pode também ser desencadeado pelo uso de certos medicamentos controlados, principalmente antidepressivos, ansiolíticos ou estabilizadores do humor.

Em boa parte dos casos, esses fármacos podem induzir a um estado de sonolência excessiva, que por sua vez pode evoluir para um quadro de hipersonia secundária.

Como saber se eu tenho hipersonia?

O sinal mais evidente de que a pessoa tem hipersonia é sentir sono mesmo depois de ter dormido uma noite inteira.

Em alguns casos de hipersonia idiopática, o indivíduo pode dormir por 24 horas a fio e, ainda assim, continuar com sono depois de despertar.

Pessoas com hipersonia secundária podem dormir por 10 horas e, ao longo do dia, sentir necessidade de tirar cochilos, continuando com sono do mesmo jeito.

Como tratar a hipersonia

Normalmente, o tratamento contra a hipersonia envolve medicamentos de uso controlado prescritos por um neurologista.

De qualquer forma, nada impede que sejam tentados métodos naturais e sem contraindicações, afinal, o excesso de sono pode ter diferentes origens.

Isso se aplica aos casos em que a pessoa simplesmente sente vontade de dormir mais tempo do que o normal, sem que seja diagnosticada nenhuma das causas mais comuns.

Confira na sequência o que você pode fazer antes de consultar o seu médico.

Observe os horários

Sentir vontade de dormir durante o dia pode ter relação com hábitos de vida noturnos.

Nesse caso, as pessoas notívagas podem vir a desenvolver hipersonia, já que acabam por trocar o dia pela noite.

A solução então passa por uma readequação dos horários, começando por definir um horário fixo para acordar, mesmo em dias de folga e finais de semana.

Assim, o cérebro começará a reprogramar seus ciclos de vigília e repouso, voltando ao ritmo normal com o tempo.

Controle a alimentação

Insônia noturna ou falta de sono, que é outro distúrbio de sono, pode ter relação com a dieta, ainda mais se o indivíduo apresenta algum tipo de intolerância alimentar.

Vale ainda evitar café e bebidas com cafeína nas seis horas que antecedem o momento de ir para a cama.

Por outro lado, fazer refeições pesadas demais ao longo do dia pode colaborar para aumentar a sensação de sonolência.

Diminua o ritmo

Embora exista um certo glamour ao redor da cultura workaholic, é preciso ter muito cuidado para que o excesso de trabalho não evolua para uma insônia ou mesmo um burnout.

Afinal, sem dormir à noite, o resultado esperado não pode ser outro além do excesso de sono durante o dia, entre outras complicações de ordem física e mental.

Vá a um médico

Como vimos, a hipersonia pode ser desencadeada por fatores genéticos.

Desta forma, não resta alternativa que não seja ir a um médico neurologista em busca de tratamento.

Pessoas com hipersonia idiopática podem precisar de medicamentos para afastar o sono, tais como metilfenidato, modafinil e pemoline.

Já as que têm hipersonia secundária precisam antes investigar as causas do sono excessivo para combatê-las, eliminando assim esse mal da sua rotina.

Sono excessivo? Comece pelo colchão

Sentir sono durante o dia pode ter relação com a insônia noturna.

Para que isso não venha a acontecer, a primeira medida que você pode tomar é investir em um colchão que garanta noites de sono mais tranquilas e relaxantes.

Os da Maxflex são perfeitos para quem precisa de conforto e durabilidade, porque são fabricados em até 5 níveis de conforto e em 3 materiais diferentes. Encontre o seu colchão ideal com a gente e durma melhor!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.